CBN - A rádio que toca notícia

REFORMAS

Entenda o que muda na reforma da Previdência aprovada em 1º turno

Os deputados ainda devem fazer a análise de destaques feitos ao texto (trechos que serão votados separadamente) e votar o projeto em 2º turno antes de enviá-lo ao Senado

11/07/19, 12:41

O

plenário da Câmara aprovou nesta 4ª feira (10.jul.2019) em 1º turno o texto-base para a reforma da Previdência. Os deputados ainda devem fazer a análise de destaques feitos ao texto (trechos que serão votados separadamente) e votar o projeto em 2º turno antes de enviá-lo ao Senado.

Alíquota de contribuição

O texto-base prevê uma mudança na alíquota paga pelo trabalhador. As alíquotas no setor privado irão de 7,5% a 14%. Atualmente, variam de 8% a 11% no INSS.

Para os servidores públicos, irão variar de 7,5% a 22% para quem recebe R$ 39.000 ou mais. Hoje, a alíquota máxima é de 11%. Eis abaixo:

Entenda as 5 regras de transição e veja qual se aplica melhor ao seu caso:

As novas exigências de aposentadoria só valem integralmente para quem ainda não trabalha. Para quem já ingressou no mercado, há 5 regras de transição disponíveis – e o trabalhador tem o direito de optar pela mais vantajosa. Já para o servidor público, há 1 regra possível e outra específica para eles.

  • Regra 1: sistema de pontuação

Nesse sistema, semelhante à formula atual do RGPS (Regime Geral da Previdência Social), o trabalhador deverá alcançar uma pontuação, que consiste na soma da idade com o tempo de contribuição. Os homens precisam ter o mínimo de 35 anos de contribuição, enquanto as mulheres precisam contribuir pelo menos 30 anos. A pontuação mínima começa em 86 pontos (para as mulheres) e 96 pontos (para os homens). A cada ano, o número mínimo de pontos sobe.

A regra prevê também o aumento de 1 ponto a cada ano, chegando  a 100 pontos para mulheres em 2033 e a 105 para homens em 2028. A regra é vantajosa para trabalhadores com muitos anos de contribuição, já que ela não estabelece idade mínima. Não vale para servidores.

A regra tem uma exceção: professores da educação infantil e do ensino fundamental e médio terão direito a uma redução de 5 pontos.

  • Regra 2: tempo de contribuição e idade mínima

Essa regra considera uma idade mínima inicial, em 2019, de 56 anos para mulheres e de 61 anos para homens. A cada ano, sobe meio ponto, ou seja, 6 meses de idade para cada um, podendo os homens chegarem aos 65 anos, em 2027, e as mulheres aos 62, em 2031. Depois disso, a transição não vale mais.

Para os 2 casos, é exigido 1 tempo mínimo de contribuição: 30 anos para mulheres e 35 para homens. Essa opção pode ser vantajosa para quem está perto das idades mínimas mas ainda precisa contribuir por pelo menos 5 anos. A regra não vale para os servidores.

  • Regra 3: pedágio de 50%

Esse sistema vale para quem está a 2 anos ou menos de cumprir o tempo mínimo de contribuição das regras atuais – 30 anos para mulheres, 35 para homens. Os trabalhadores nessa situação podem se aposentar sem idade mínima, mas para isso precisarão cumprir um pedágio de 50% do tempo de contribuição que falta para se aposentarem.

Ou seja, quem estiver a 2 anos da aposentadoria precisará trabalhar 1 ano a mais; quem estiver a 1 ano, precisará trabalhar 6 meses a mais, e assim sucessivamente. O valor do benefício, porém, poderá não ser integral: a aposentadoria usará o fator previdenciário, o cálculo que leva em conta a expectativa de sobrevida do segurado medida pelo IBGE.

A regra não vale para servidores públicos.

  • Regra 4: pedágio de 100%

Para usar essa regra, os homens precisam ter no mínimo 60 anos e as mulheres, 57. Para se aposentar, eles precisam cobrir 1 pedágio de 100% do tempo de contribuição que ainda falta para se aposentar – considerando o mínimo de 30 anos para mulheres e 35 para homens.

Ou seja: quem ainda precisaria de 5 anos para chegar à aposentadoria, vai precisar trabalhar 10. Vale a pena para quem não se aposentaria em 2 anos e, portanto, não tem direito ao pedágio de 50%, e não está longe de chegar ao tempo mínimo de contribuição. A vantagem é que o benefício é pago integralmente.

A regra vale também para servidores.

  • Regra 5: idade mínima

Para usar essa transição, os homens precisam ter 65 anos e ao menos 15 de contribuição, enquanto as mulheres precisam ter 60 anos e 15 de contribuição. A partir de 2020, o tempo de contribuição dos homens vai crescer 6 meses por ano, chegando a 20 anos em 2029.

Já a contribuição das mulheres permanece em 15 anos, mas a idade mínima vai crescer 6 meses a cada ano a partir de 2020, chegando a 62 em 2023.

Essa opção não está disponível para os servidores.

  •  Regra específica para os servidores
Além da opção de pedágio 100%, os servidores têm uma regra específica à disposição, parecida com o sistema de pontos da regra geral. A diferença é que as mulheres precisam ter o menos 56 anos e os homens, 56, além de cumprirem o tempo mínimo e contribuição de 35 e 30 anos, respectivamente. A partir de 2022, a idade muda mínima muda para 57 anos (mulheres) e 61 (homens). Ambos precisam ter 20 anos de serviço público e mais 5 no cargo.
 
Fonte: JL/PODER 360
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
15/10/19, 19:27 | POLÍTICA - Braço direito dos Bolsonaros em SP é acusado de pegar salário dos assessores para 'rachadinha'
15/10/19, 14:03 | POLÍTICA - LULA: 'Bolsonaro está dando autorização para vender o Brasil'
15/10/19, 14:00 | POLÍTICA - STF investiga rede de fake news pró-Bolsonaro e ataques à corte
15/10/19, 12:32 | DESASTRE - Prédio residencial desaba em bairro de classe média de Fortaleza
15/10/19, 12:28 | OPINIÃO PÚBLICA - Maioria acredita que Lava Jato cometeu excessos, aponta pesquisa do mercado
15/10/19, 12:23 | POLÍTICA - Arminio Fraga: impeachment de Dilma e prisão de Lula foram retrocessos democráticos
15/10/19, 12:10 | EDUCAÇÃO - Dia do Professor: Educação enfrenta ameaças conservadoras e corte de verbas em governo Bolsonaro
15/10/19, 08:24 | EDUCAÇÃO - Cerca de 200 alunas participam do 1ª Torneio Meninas na Matemática
15/10/19, 08:20 | ESPORTE - Seleção brasileira encerra o ano enfrentando Argentina e Coreia do Sul
15/10/19, 08:14 | EDUCAÇÃO - Professores incentivam e alunos se tornam medalhistas em olimpíadas
15/10/19, 07:22 | CRIME ELEITORAL - PF faz buscas no PSL de Bolsonaro na investigação sobre laranjas na eleição
14/10/19, 19:52 | POLÊMICA - 'Não somos justiceiros', diz ministro do Supremo sobre prisão após condenação em 2ª instância
14/10/19, 15:57 | JULGAMENTO - STF vai julgar fim da prisão em segunda instância nesta quinta
14/10/19, 15:43 | JUDICIÁRIO - Ministro Celso de Mello nega HC que tentava derrubar o site The Intercept
14/10/19, 14:47 | CONFUSÃO - Deputados que devem ser expulsos do PSL esperam Bolsonaro
14/10/19, 14:41 | POLÍTICA - PSDB diz que Weintraub é a “doença terminal da Educação no Brasil”
14/10/19, 14:36 | POLÍTICA - Crise entre Bolsonaro e PSL fortalece Maia e o Congresso
14/10/19, 13:35 | ESPORTE - Invicto, Brasil chega ao tri na Copa do Mundo de Vôlei Masculino
14/10/19, 13:30 | JUSTIÇA - Supremo julga na quinta ações sobre prisão após segunda instância
14/10/19, 13:23 | VIOLÊNCIA - Homicídios e outros oito crimes violentos caem no 1º semestre
14/10/19, 12:12 | POLÍTICA - Major Olímpio pede para Bolsonaro internar Carluxo numa clínica psiquiátrica e ameaça ir à Justiça
14/10/19, 12:00 | POLÍTICA - Ato reúne milhares na Av. Paulista: ‘Defesa da liberdade de Lula é a defesa da democracia’
14/10/19, 11:56 | MEIO AMBIENTE - Justiça responsabiliza governo federal por derrame de óleo no Nordeste
14/10/19, 11:49 | POLÍTICA - Notas fiscais provam caixa 2 para a campanha de Bolsonaro e do PSL
14/10/19, 11:45 | INVESTIGAÇÃO - Ministro manda investigar relação entre rede de fake news pró-Bolsonaro e ataques ao STF
14/10/19, 08:40 | ESCÂNDALO - Lava Jato usou denúncia do sítio contra Lula para distrair público de crise com Temer e Janot e proteger colegas pocuradores
13/10/19, 20:48 | POLÍTICA - Filho de Bolsonaro chama senador de 'bobo da corte', e este rebate: 'Moleque'
13/10/19, 16:06 | TRANSPARÊNCIA - Tribunais de Contas entram na mira de entidades do controle social
13/10/19, 15:45 | ESPORTE - Zagueiro Marquinhos reconhece atuação ruim da seleção em Cingapura
13/10/19, 15:41 | IGREJA - Dez mil brasileiros participam da canonização da Irmã Dulce
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site