CBN - A rádio que toca notícia

POLÍTICA

Crise entre Bolsonaro e PSL fortalece Maia e o Congresso

Para o cientista político Creomar de Souza, professor da Faculdade Mackenzie em Brasília, o rompimento entre Bolsonaro e uma ala do PSL reduz a cerca de 30 deputados o total de votos com os quais ele poderá contar, de fato, para aprovar suas propostas

14/10/19, 14:36

P
rincipal articulador do Congresso, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), tem sido chamado por colegas de primeiro-ministro, tal seu poder para fazer as pautas andarem na Casa. E o seu protagonismo deve crescer ainda mais com o eventual isolamento do presidente Jair Bolsonaro, em rota de colisão com a cúpula de seu partido. Com Maia, quem também tende a se fortalecer é o chamado Centrão, grupo informal de partidos encabeçado por deputados de PP, DEM, PR, PRB, MDB e Solidariedade.

Para o cientista político Creomar de Souza, professor da Faculdade Mackenzie em Brasília, o rompimento entre Bolsonaro e uma ala do PSL reduz a cerca de 30 deputados o total de votos com os quais ele poderá contar, de fato, para aprovar suas propostas. Esse é o número de parlamentares que deve acompanhar o presidente caso ele decida mudar de legenda. Com os demais, ele terá de negociar voto a voto, a exemplo do que acontece hoje com as demais bancadas.

“O Congresso tende a ficar mais forte. A Câmara está pacificada pela liderança do Rodrigo Maia. O Senado ainda está definindo para onde vai. No Senado é mais difícil de avaliar, porque há um descontentamento com a liderança do [Davi] Alcolumbre”, disse o professor ao Congresso em Foco. Alcolumbre enfrenta a resistência de senadores que apoiaram sua eleição e se sentem frustrados com sua aproximação com forças que derrotou, como o senador Renan Calheiros (MDB-AL) e a ala mais fisiológica do MDB.

Brigado com seu próprio partido ou fora dele, Bolsonaro deverá ficar ainda mais refém do Congresso, na avaliação de Creomar. “Tudo dependerá de como ele vai fazer o diálogo interinstitucional. Hoje ele tem um partido com o qual não consegue dialogar, porque o PSL está mais preocupado em dar certo do que o governo dê certo”, acredita.

Os desdobramentos da relação do governo com o Congresso, segundo o cientista político, vão depender do comportamento de Bolsonaro.

“Vejo hoje três cenários: 1 - tudo melhora, o governo aprende a ser governo, estabelece diálogo com o Brasil, monta algum tipo de base e avança; 2 - vamos até o fim do governo do jeito que está, votando no varejo, ou seja, fazendo arranjo e votando; ou 3 - há uma degradação do processo do jogo, isto é, a Presidência vai ficando cada vez mais fraca e o Congresso vai tocando o que acha mais importante”, afirma o professor, fundador da Consultoria Dharma.

Bolsonaro e seus líderes no Congresso reforçam sempre que o governo optou por não ter uma base formalizada, por acreditarem que isso é sinônimo do velho “toma lá dá cá”. Para o advogado e mestre em ciência política Marcelo Issa, coordenador da Transparência Partidária, esse modus operandi reforça o protagonismo do Legislativo. "É uma opção do presidente de munir a sua interferência no poder Legislativo, com essa nova dinâmica o resultado é o ganho de protagonismo do Legislativo", analisa Issa.

O cientista político explica que, para tentar impedir o aumento desse protagonismo do Congresso, o presidente busca atuar sozinho, através de decretos. "A tendência do Executivo é ele buscar tratar de determinadas matérias por decretos mais do que nas legislaturas passadas", diz. Dessa maneira, o que está acontecendo é que outro poder acaba sendo afetado, o Judiciário, pois o número de ação direta de inconstitucionalidade (ADI) só cresce e, com isso, além das derrotas no Legislativo, derrotas no Judiciário acabarão também respingar no Executivo e minar cada vez mais suas forças.

"Se o Executivo não opera o sistema presidencialista de coalizão, com as ferramentas que teria para fazer de maneira legitima, ética e honesta, esse é o resultado", afirma Issa.

Dessa forma, o Legislativo tende a aprovar pautas que lhe interessa e a rejeitar as matérias do governo. "O Congresso tem ganhado um protagonismo e os indicadores de sucesso do Executivo nas matérias que lhe interessa no Congresso Nacional não são satisfatórias", diz Marcelo. Bolsonaro acumula derrotas em medidas provisórias e derrubadas de vetos presidenciais.

Até o momento, nove vetos totais ou parciais de Bolsonaro foram derrubados pelo Congresso, um índice de 24%. A título de comparação, esse percentual era de 9,5% no governo Dilma e 14% na gestão de Michel Temer, conforme mostrou levantamento do Globo. Das medidas provisórias assinadas pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, apenas três de 11 foram aprovadas, outro recorde negativo desde 2003. Com Bolsonaro mais isolado, o risco é de as derrotas aumentarem.


Fonte: JL/Congresso em Foco
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
12/07/20, 19:58 | POLÍTICA - Facebook estuda a proibição de anúncios políticos durante a campanha eleitoral de 2020
12/07/20, 18:43 | DECISÃO - CARIOCA: Flamengo vence 1º jogo da final contra o Fluminense
12/07/20, 18:39 | PANDEMIA - Público de vaquejada em Teresina (PI) foge com a chegada da PM
12/07/20, 18:22 | ENTREVISTA - Coronel da PM de São Paulo diz: Bolsonaro é "o maior erro histórico"
12/07/20, 15:28 | POLÍTICA - Com apenas 3% das assinaturas necessárias, Aliança pelo Brasil tentou filiar mortos e eleitores falsos
12/07/20, 15:15 | POLÍTICA - ‘Lava Jato teme pelo que fez no sábado à noite’, diz Gilmar Mendes
12/07/20, 15:11 | POLÍTICA - “Não estamos à venda”: Lideranças do PSL rejeitam tentativa de reaproximação de Bolsonaro
12/07/20, 14:51 | POLÍTICA - Gilmar Mendes diz que militares decidiram se associar ao genocídio do povo brasileiro
12/07/20, 13:28 | POLÍTICA - Senador ameaça sair do PSL caso partido se reaproxime de Bolsonaro
12/07/20, 13:18 | POLÍTICA - Requião: Empresas privatizadas serão reestatizadas sem indenização
12/07/20, 13:15 | PANDEMIA - 1º condenado da Lava Jato e vítima de Covid-19 morre na prisão
11/07/20, 19:03 | POLÍTICA - Ex-prefeitos escondem patrimônio para não devolver dinheiro aos cofres públicos
11/07/20, 19:01 | POLÍTICA - Ministro do TCU manda suspender publicidade do governo em sites que divulguem atividade ilegal
11/07/20, 17:33 | PANDEMIA - Prefeito de Teresina decreta luto oficial após Teresina registrar mais de 500 mortes por Covid-19
11/07/20, 17:31 | PANDEMIA - Decreto autoriza funcionamento de novos serviços a partir de segunda-feira, 13, no Piauí
11/07/20, 16:13 | MEIO AMBIENTE - Amazônia perdeu área equivalente ao dobro da cidade de São Paulo no 1º semestre
11/07/20, 15:53 | PESQUISA - 51% dos brasileiros sentem alguma insegurança para frequentar locais públicos
11/07/20, 15:42 | POLÍTICA - Jair Bolsonaro acaba quando acabarem as fake news, diz especialista
11/07/20, 15:27 | POLÊMICA - Médica Nise Yamaguchi é afastada do Albert Einstein por defender cloroquina contra Covid-19
11/07/20, 15:22 | ENTREVISTA - 'Não é culpa do Supremo que o mundo hoje olha para o Brasil atônito como tratamos a pandemia', critica Barroso
11/07/20, 15:17 | PESQUISA - 6 em cada 10 brasileiros ainda estão 'muito preocupados' com pandemia
11/07/20, 14:43 | IMPROBIDADE - Ex-prefeito de Luzilândia terá que devolver mais R$ 650 mil reais por desvio de recursos públicos federais
11/07/20, 05:35 | INVESTIGAÇÃO - Moro espionava PGR para salvar a pele de Dallagnol e da Lava Jato, diz Revista Veja
10/07/20, 16:57 | POLÍTICA - Ex-capitao do Bope diz que Queiroz é “homem do Jair”
10/07/20, 16:48 | PREVIDÊNCIA - Aposentados e pensionistas não precisam provar que estão vivos até setembro
10/07/20, 16:41 | POLÍTICA - Eduardo Bolsonaro disse em 2017 que ladrão amigo do rei vai para prisão domiciliar
10/07/20, 16:24 | EDUCAÇÃO - Secretários de Educação repudiam nomeações de Bolsonaro para o Conselho Nacional do setor
10/07/20, 16:19 | INVESTIGAÇÃO - Aras prepara equipes que serão enviadas para devassa na Lava Jato
10/07/20, 16:12 | POLÍTICA - VÍDEO: “Viva o coronavírus”, diz vereador bolsonarísta de GO em festa junina com aglomeração
10/07/20, 14:24 | POLÍTICA - Bolsonaro e filhos mentem sobre decisão do Facebook
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site