CBN - A rádio que toca notícia

POLÍTICA

STF investiga rede de fake news pró-Bolsonaro e ataques à corte

O supremo está apurando a ligação entre rede de fake news pró-Bolsonaro e ataques à corte

15/10/19, 14:00

O
ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes ordenou que a Polícia Federal investigue a relação entre uma rede de disparos de mensagens de WhatsApp favoráveis ao presidente Jair Bolsonaro (PSL), ativa desde as eleições passadas e revelada pelo UOL em setembro, e os ataques sofridos pelos ministros da corte na internet nos últimos tempos.

O pedido foi feito dentro do chamado inquérito das fake news, aberto pelo próprio tribunal sob o comando de Moraes. A reportagem do UOL mostrou que uma rede de disseminação de fake news pró-Bolsonaro, com uso de robôs e disparo em massa de mensagens, não foi completamente desativada depois das eleições.

Muitas linhas telefônicas usadas nos disparos durante as eleições são usadas hoje em dia para administrar grupos públicos de WhatsApp a favor do governo Bolsonaro. Em parte desses grupos só o administrador pode enviar mensagem -eles funcionam como "listas de transmissão".

Agora, o STF quer saber se a mesma estrutura é utilizada para disseminar os ataques e ameaças aos ministros que motivaram a abertura do inquérito na corte.

Em 19 de março, um despacho de Alexandre de Moraes mostrou que uma das linhas de investigação no inquérito aberto pelo STF era "a verificação da existência de esquemas de financiamento e divulgação em massa nas redes sociais, com o intuito de lesar ou expor a perigo de lesão a independência do Poder Judiciário e ao Estado de Direito".

Em entrevista naquele dia, o ministro confirmou a suspeita. "Essa rede alguém paga, alguém financia por algum motivo", disse a jornalistas. Ele afirmou que o caso seria "investigado a fundo". "Há fortes suspeitas de que os grupos de financiamento maiores são de São Paulo."

CONTAS CANCELADAS

Em outro inquérito, a Polícia Federal investiga o caso para verificar quem pagou pelo serviço de empresas disparadoras de mensagens em massa. Moraes quer saber se as pessoas e as empresas que atuam nessas redes são as mesmas que agem em disparos de mensagens contra ministros do Supremo.O WhatsApp cancelou ao menos 1,5 milhão de contas de usuários brasileiros desde as eleições passadas por uso de robôs, disparo em massa de mensagens e disseminação de fake news.

Recentemente, o gerente de políticas públicas e eleições globais do WhatsApp, Ben Supple, admitiu publicamente que houve disparos em massa ilegais nas eleições do Brasil, como mostrou o jornal Folha de S.Paulo.

"Na eleição brasileira do ano passado houve a atuação de empresas fornecedoras de envios massivos de mensagens, que violaram nossos termos de uso para atingir um grande número de pessoas", afirmou.

Supple disse que o WhatsApp desencoraja o usa de grupos como se fossem listas de transmissão. "Vemos esses grupos como tabloides sensacionalistas, onde as pessoas querem espalhar uma mensagem para uma plateia e normalmente divulgam conteúdo mais polêmico e problemático", disse.

"Nossa visão é: não entre nesses grupos grandes com gente que você não conhece; saia desses grupos e os denuncie."

A reportagem solicitou informações e entrevista sobre o caso ao ministro Alexandre de Moraes. Por meio de seu gabinete, ele disse que não comentará o assunto. A Polícia Federal não prestou esclarecimentos.


Fonte: JL/Folha
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
21/11/19, 20:57 | INUSITADO - Número do novo partido de Bolsonaro será 38, em alusão ao revólver mais popular do Brasil
21/11/19, 19:48 | POLÍTICA - Polêmica da prisão em Segunda Instância sofre nova reviravolta no Congresso Nacional
21/11/19, 19:19 | POLÊMICA - Bolsonaro envia projeto que permite policía matar em operação
21/11/19, 19:16 | ECONOMIA - Bancos anunciam mutirão para renegociação de dívidas em dezembro
21/11/19, 19:13 | ESPORTE - Maracanã terá festa para disputa entre Flamengo e River Plate
21/11/19, 18:51 | POLÊMICA - Câmara cria comissão especial para discutir ilegalidade da prisão após 2ª Instância
21/11/19, 18:48 | POLÍTICA - Greenwald: ‘Moro protege família Bolsonaro para avançar na carreira política’
21/11/19, 18:45 | INVESTIGAÇÃO - Polícia convoca assessores de Carlos Bolsonaro para depor no caso Marielle
21/11/19, 15:51 | ARTIGO - Prisão em 2ª Instância – Saída Jurídica
21/11/19, 15:45 | POLÍTICA - Deputados cobram fatura da reforma da Previdência e ameaçam Bolsonaro
21/11/19, 15:10 | ARTIGO - Bolsonaro e os filhos vivem com medo
21/11/19, 14:52 | POLÍTICA - Bolsonaro transformou o Brasil numa grande delegacia, acusa Rui Costa Pimenta
21/11/19, 14:45 | POLÍTICA - Bolsonaro acusa Witzel de “manipular” caso Marielle: “Agora jogam pra cima do Carlos Bolsonaro”
20/11/19, 22:16 | EVENTO - Firmino discute soluções inteligentes para as cidades com prefeitos e governadores
20/11/19, 22:05 | INVESTIGAÇÃO - CBN, da Globo, diz que polícia apura Carlos Bolsonaro no caso Marielle
20/11/19, 21:57 | POLÍTICA - ENTREVISTA: Lula diz que se manterá grande e próximo ao povo
20/11/19, 21:53 | SUPREMO - Toffoli vota por limitar compartilhamento de dados financeiros
20/11/19, 21:48 | MEIO AMBIENTE - Amazônia: governadores tentam unificar dados para receber recursos
20/11/19, 21:44 | INVESTIGAÇÃO - Palocci frauda delação e apresenta dados falsos à Justiça
20/11/19, 21:41 | INVESTIGAÇÃO - Porteiro que citou Bolsonaro no caso Marielle muda versão em depoimento para PF
20/11/19, 21:21 | POLÊMICA - CCJ da Câmara aprova admissibilidade da PEC que permite em prisão 2ª Instância
20/11/19, 08:47 | REFORMAS - Senadores mudam cálculo da aposentadoria previsto na reforma da Previdência. Veja como seria
19/11/19, 21:09 | DECORO - “Que isso não se repita”, diz Maia após deputado destruir cartaz sobre matança de negros
19/11/19, 20:55 | POLÍTICA - Rodrigo Maia anuncia agenda legislativa para o desenvolvimento social
19/11/19, 20:46 | TRAGÉDIA AMBIENTAL - Óleo já atingiu pelo menos 675 áreas de 116 cidades, informa Ibama
19/11/19, 20:36 | POLÊMICA - Senado tenta solução jurídica para regulamentar prisão em Segunda Instância
19/11/19, 20:30 | POLÍTICA - MP frustra planos de Bolsonaro e se posiciona contra coleta de assinaturas digitais para criação de partidos
19/11/19, 20:21 | SUPREMO - Ministro Fux volta atrás e libera julgamento de ação contra Dallagnol
19/11/19, 17:28 | POLÍTICA - Bolsonaro se desfilia do PSL e país passa a ter presidente sem partido
19/11/19, 17:07 | ECONOMIA - Bolsonaro aumenta preço da gasolina um dia após dólar bater recórde
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site